A Cerâmica Vale da Gândara tem o prazer de anunciar os vencedores do Prémio de Arquitectura em Tijolo Face à Vista, da edição de 2012 2013, a 6ª edição deste Prémio, para projectos realizados entre 1 de Janeiro de 2012 e 31 de Dezembro de 2014.

Após a análise às 20 candidaturas, o Júri decidiu atribuir o Prémio Categoria Absoluta ao Centro Escolar de Fonte de Angeão da autoria do Arquitecto Miguel Marcelino.
Esta proposta possui grande qualidade arquitectónica e uma utilização de tijolo face à vista com bastante relevância, definidora da sua imagem global e de grande parte da solução construtiva apresentada.
A proposta detém uma relação harmoniosa, articulada e estreita com a envolvente, no que concerne à sua escala, à implantação e articulação volumétrica e na relação simbiótica entre o interior e o exterior.
Apresenta uma relação racional, clara e bem articulada no seu conceito funcional, com autonomia interior espacial articulando-se intimamente, onde o interior beneficia de uma iluminação natural generosa.
A solução construtiva preconizada, também ela racional, apresenta o tijolo face à vista como o material usado também como definidor da materialização estética apelativa do edifício.

O Júri decidiu não atribuir o prémio na Categoria Jovem Arquitecto, optando por atribuir uma Menção Honrosa ao Jardim da Mouraria, da autoria do Arquitecto Pedro Sousa.
A abordagem desta proposta de requalificação do espaço público distingue-se pela sua singularidade. Para além da forte tendência de avaliação do lugar, de adequação à sua envolvente, a obra do Jardim da Mouraria resolve uma zona de topografia acidentada, dinamizando-a.
A plasticidade da obra é apelativa, conseguida através da plasticidade do material utilizado do tijolo face à vista. A relação funcional e visual coloca o tijolo face à vista como primeiro plano. O material define a estético, a construção no seu conceito funcional e formal e é caracterizador da solução construtiva.