Espaço do Arquitecto com Atelier Aberto
Espaço do Arquitecto com Atelier Aberto
Nesta edição do Espaço do Arquitecto, falámos com o Atelier Aberto, acerca do projecto Casa de Escapães.

Apresentação do Atelier Aberto
O atelier.aberto nasce em 2006, da vontade de quatro jovens arquitectos abraçarem o desafio de constituir um atelier para desenvolverem os seus próprios projectos, após um período de aprendizagem no seio de outros escritórios de renome, como por exemplo, o atelier Alcino Soutinho Arquitecto Lda. É neste momento constituído por Luca Dubini (1969, Cantú, Itália), Sofia Santos (1979, São João da Madeira) e Fernando Martins (1978, Paris, França). No decurso da sua atividade, teve a oportunidade de explorar diferentes tipos de programas arquitectónicos: desde recuperação e reabilitação (ex.: prédio na rua de Bonjardim, casa em Duas Igrejas, ou a recuperação e ampliação do Mosteiro de S. Bento de Arnoia); passando por equipamentos de lazer e turismo (ex.:restaurante Casa do Agricultor, publicado no Guia Norte da Arquitectura, e no programa Arquitectarte da RTP-n, e novos edifícios de apoio aos parque de campismo da Orbitur); equipamentos sociais e de saúde (ex.: vários lares de 3ª idade, serviço de apoio domiciliário, centro de apoio domiciliário, unidade de cuidados continuados, etc. em Celorico de Basto); ou ainda habitação particular e coletiva.

http://www.atelieraberto.com

Qual é o conceito do edifício?
A encomenda contemplava a construção de uma habitação unifamiliar, num só piso, implantada num lote de dimensões reduzidas, elevado em relação à rua. De forma a cumprir os afastamentos regulamentares, a habitação encontra-se implantada numa posição central ao lote. O acesso mecânico e pedonal é feito indiferenciadamente por uma rampa adossada ao limite nordeste do lote, que permite chegar à entrada principal da habitação, e ao anexo/garagem, situado no fundo do lote. A volumetria consiste num volume paralelepipédico ao qual acrescem dois volumes avançados, a noroeste e sudeste, de forma a delimitar dois pátios exteriores, a norte e sul, respectivamente. Estes pátios organizam-se em volta de duas árvores: um pinheiro manso de grandes dimensões a sul, já existente, e que serve de cobertura arborizada ao respectivo pátio, para onde se abrem os quartos da habitação; e uma nogueira a noroeste relaciona-se com as zonas predominantemente diurnas da habitação, como é o caso da sala de estar, a zona de refeições, a cozinha e a lavandaria, sendo rematado na extremidade norte do lote, por um volume que alberga um anexo, uma zona de refeição coberta, com churrasqueira, e a garagem. A sudeste, a zona de quartos beneficia de uma exposição solar favorável, mantendo a sua privacidade pelo facto de se situar numa cota superior à da rua. A habitação é assim dividida em duas zonas claras - diurna e nocturna - sendo a distribuição e hierarquização feita por um corredor/hall central, de onde nascem quatro nichos iluminados zenitalmente, e onde se localizam de forma resguardada, os acessos aos espaços adjacentes. Um volume introspectivo e dinâmico que se espraia no terreno, gerando espaços exteriores diferenciados com que se relaciona de forma distinta.

Tem em conta os problemas ambientais e de sustentabilidade na concepção dos seus projectos?
Tentamos sempre ir de encontro às boas práticas de construção, aos desejos e possibilidades dos clientes, e, de forma ponderada, à introdução de tecnologias tidas como benéficas em termos ambientais. Aos poucos é fundamental mudar hábitos e processos com reflexos muito negativos no meio ambiente. No entanto defendemos que a sustentabilidade é um conceito que engloba muito mais que a simples redução de dióxido de carbono, a eficiência energética, ou o aproveitamento das energias renováveis. A gestão económica das expectativas, a sensibilização para determinados materiais, são outros aspectos que temos em conta na concepção arquitectónica, assumindo a responsabilidade social inerente à profissão.

Quais as vantagens do Tijolo Face à Vista?
Plasticamente, o revestimento das fachadas é tratado como um invólucro contínuo, texturado, que arranca no muro de contenção do lote, virado para a rua, prossegue ao longo da rampa, e envolve a habitação, evidenciando os movimentos volumétricos. O aspecto duradouro do tijolo ao longo do tempo, requisito fundamental dos donos da obra, representa uma vantagem não indiferente e interessante, principalmente sabendo que o material poderá moldar-se e transformar-se ao longo do tempo, redefinindo o aspecto geral da obra.

A Casa de Escapães venceu a categoria Jovem Arquitecto no Prémio de Arquitectura 2007 2009. Que significado teve este Prémio?
Representou um reconhecimento e a confirmação do trabalho que desenvolvemos no atelier, conscientes que representou só uma etapa de um caminho longo e árduo, de pesquisa e constante aprendizagem.

Qual a razão para a escolha da cor Cinza Minho?
Na altura da escolha, achamos que o resultado final fosse ligeiramente mais cinza. No entanto a tonalidade real encaixou perfeitamente no que pretendíamos. A nossa intenção era que a aparência cromática resultasse simultaneamente contemporânea e neutra, sobressaindo a textura do material, e o tom beije (inesperado) permitiu um resultado mais "quente".

Quais foram os maiores desafios na concepção do Projecto?
Alguns aspectos eram tidos como fundamentais pelos clientes, no processo de formulação das suas intenções: por um lado, a casa devia ser de um só piso, o que foi concretizado, mesmo considerando o lote compacto; devia contemplar coberturas inclinadas; e finalmente, devia ser revestido num material capaz de manter um aspecto inalterado ao longo do envelhecimento. Conseguimos cumprir todos os objectivos.

Como classifica a utilização do Tijolo de Face à Vista na arquitectura nacional?
Observamos com agrado o aumento de utilização do Tijolo de Face à Vista, e parece que este facto resulta da durabilidade que este material apresenta, e também pelo facto de não requerer manutenção, o que é economicamente interessante para os clientes. Para além disso, este material permite com grande facilidade, reinterpretar uma linguagem contemporânea, mesmo tratando-se de um material milenar, permitindo uma grande versatilidade plástica no seu uso.

Catálogo Cerâmica Vale da Gândara

Tijolo Face à Vista Klinker Cinza Minho

Casa de Escapães | Atelier Aberto | Tijolo Face à Vista Klinker Cinza Minho
Casa de Escapães | Atelier Aberto | Tijolo Face à Vista Klinker Cinza Minho
Casa de Escapães | Atelier Aberto | Tijolo Face à Vista Klinker Cinza Minho
Casa de Escapães | Atelier Aberto | Tijolo Face à Vista Klinker Cinza Minho
Casa de Escapães | Atelier Aberto | Tijolo Face à Vista Klinker Cinza Minho
Casa de Escapães | Atelier Aberto | Tijolo Face à Vista Klinker Cinza Minho