valegandara@valegandara.com
+351 231 927 300
        

MÖRSCHEL ARQUITECTOS

Espaço do arquiteto com Mörschel Arquitectos


Andreas Mörschel estudou Arquitetura na Fakultät für Architektur und Städtebau / Technische Universität em Stuttgart e na Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto. Terminou a pós-graduação em Construção e Gestão Imobiliária na Universidade do Minho e Universidade Católica do Porto. Depois de colaborar como coordenador de projetos em várias competições PPP com “JS + MM + BP ace” em Lisboa, tornou-se Sócio Fundador e Diretor Administrativo da “BMM Balonas, Menano & Mörschel, Arquitectos” antes de iniciar o seu próprio atelier em 2009.

MEMBROS DA EQUIPA desde 2009:
João Segurado, Lourenço Andrade, Benjamin Coustes, Vera Blanco, Nuno Mesquita, Maria Cochicho, Ruben Marçal Liça, Carolina Cantante, Manuel Queiroz Lima, Andre Cachado Alves, Filipa Lindo, Joana Matoso, Marcia Xavier, Nuno Velhinho, Gonçalo Freitas da Silva, Mariana Morais Hamid Spahi, Sara Fontainhas, Sofia Rocha, Cátia Clérigo.

Quais foram os maiores desafios na conceção do projeto?


O projecto foi muito condicionado pelo Plano de Pormenor Alvalade XXI que definiu toda a volumetria do pavilhão como também a sua implantação e os espaços verdes adjacentes. O desafio foi dotar o projecto de uma identidade própria, que reflectisse a história, o presente e as aspirações do clube num contexto urbano não consolidado.

Como classifica a utilização do plaqueta cerâmica na arquitetura nacional?


A utilização da plaqueta ceramica na arquitectura nacional serviu para colmatar uma lacuna de acabamentos interiores e exteriores, surgindo como um elemento que não deve ser ignorado, com diversas possibilidades de aplicação e alta durabilidade, introduzindo uma textura rica e personalidade aos espaços onde é aplicada.

Porquê a escolha da plaqueta cerâmica?


A plaqueta cerâmica é muito importante na definição dos espaços de estar e de circulação publicos no Pavilhão, tecnicamente a plaqueta cerâmica oferece melhorias significativas no comportamente acustico da sala, enfatizando o efeito cénico, ao mesmo tempo a sua materialidade e textura são importantes para a definição interior dos espaços publicos do pavilhão, e por ultimo confere uma resistência (e consequente muito pouca manutenção) ao uso itensivo que estas zonas têm.

Porquê da escolha da cor “Negro Calabar”?


O facto de todas as paredes que envolvem a arena estarem revestidas a tijolo klinker “Negro Calabar” permite enfatizar o efeito cénico do campo de jogo assemelha-se, assim, a uma gigante caixa negra, onde, à semelhança do que acontece no teatro, todos os olhares se dirigem para o palco/campo. O resultado é uma verdadeira sala de espetáculos.